18Outubro2017

Informes Notícias 28/6/2016 Sindex-MG consegue solucionar questão dos uniformes na Cenibra

28/6/2016 Sindex-MG consegue solucionar questão dos uniformes na Cenibra

  • PDF
altGraças à pressão dos trabalhadores e à atuação firme do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Extração Vegetal, Carvoejamento, Reflorestamento e Similares do Estado de Minas Gerais (Sindex-MG), mais uma questão de saúde e segurança foi solucionada na Celulose Nipo-Brasileira S/A (Cenibra). De forma unilateral, a empresa estava exigindo que os funcionários que atuam na área de aplicação de herbicida levassem os uniformes de trabalho para casa. Como explica o diretor do Sindicato, Domingos Vieira, a lógica da Cenibra era ganhar em produtividade, impondo aos funcionários que já viessem uniformizados de casa (a prática usual é que os trabalhadores troquem de roupa no campo). “Os trabalhadores estavam indignados em levar para casa uniformes utilizados na aplicação de herbicida. Mesmo com a alegação da empresa que esses uniformes são higienizados, não queremos esse material em nossas casas”, explica o diretor.

Numa demonstração de insatisfação, os funcionários da Cenibra realizaram uma paralisação pontual em 8 de junho, no Projeto Cocais das Estrelas, em Antônio Dias/MG. O movimento chamou a atenção da empresa para a situação e uma reunião com representantes do Sindex-MG aconteceu em 10 de junho, em Belo Oriente. “A empresa retomou o procedimento antigo, mantendo a troca do uniforme no campo”, informou a assessora do Sindicato, Darcy Martins. Na oportunidade, o Sindex-MG solicitou à empresa que encaminhasse as informações técnicas referentes à higienização dos uniformes e EPI, que está sendo realizada na Penintenciária de Ipaba. A Cenibra se comprometeu em enviar o laudo técnico, o que não ocorreu até o momento.

O Sindex-MG está sempre acompanhando as condições de trabalho na empresa e cobra da Cenibra o cumprimento do compromisso assumido junto ao Sindicato e às certificadoras florestais Bureau Veritas e FSC de implementar vestiários adequados nas frentes de trabalho. É essencial que a Cenibra cumpra com o compromisso assumido e ofereça de fato condições mais dignas de higiene a seus trabalhadores.

 
altalt















Insatisfeitos com a orientação da empresa de já virem para o campo com o uniforme vestido, vários trabalhadores preferiram colocar o uniforme na estrada, como visto nestas fotos. Como é possível perceber, higiene e privacidade estão totalmente comprometidas.

altalt

alt
 











Mesmo higienizados, os uniformes ficam com aparência encardida, como se não tivessem sido bem lavados. Nas duas fotos da esquerda, vemos um uniforme novo, que passou por apenas uma higienização. A previsão é que ele passe por 50 lavagens até ser descartado. Com uma única higienização, já está assim. Imagina como estará no final da sua vida útil? É importante dizer que estas fotos são do início do dia de trabalho... Ou seja, o uniforme já parece sujo e usado. Por isso, os trabalhadores não querem levá-los para o interior de suas casas, já que são utilizados na atividade de aplicação de herbicida e o processo de higienização não é conhecido.