19Agosto2017

Informes Notícias 30/03/2016 Tribunal Popular para julgar tragédia de Mariana

30/03/2016 Tribunal Popular para julgar tragédia de Mariana

  • PDF

altConfira convite do Tribunal Popular para evento que marca a tragédia de Mariana. NÃO PODEMOS DEIXAR CAIR NO ESQUECIMENTO!!!


Tribunal Popular: Samarco/Vale/BHP, governos estadual de Minas Gerais e governo federal serão julgados pelo rompimento das barragens de Santarém e Fundão
Um Tribunal Popular para julgar os crimes da Samarco/Vale/BHP pelo rompimento das barragens de Santarém e Fundão acontece neste 1º de abril em Belo Horizonte

Nesta sexta-feira, 1º de abril, a CSP-Conlutas e o Espaço de Unidade de Ação realizam um Tribunal Popular como parte da campanha de responsabilização da Samarco/Vale/BHP, pelo rompimento das barragens de Santarém e Fundão. Essa atividade também faz parte do dia nacional de lutas em 1º de abril convocado por diversas entidades que não compõem o setor governista (PT) nem a oposição de direita (PSDB, PMDB, DEM e outros), defendendo, assim, um bloco alternativo classista organizado nas mobilizações dos trabalhadores, da juventude e do povo pobre.

Crime de grandes proporções – O crime cometido naquela região foi de grandes proporções, com 19 mortes, destruição de povoados, rios, fauna e flora de três estados – Minas Gerais, Espírito Santo e Bahia. Multas foram aplicadas, mas as empresas recorreram e o que temos diante de tal crime é a impunidade dessas empresas. Tudo porque a Vale é uma das grandes doadoras de campanha para os partidos PT, PSDB e PMDB, o que permite que as efetivas punições não avancem. Chegou-se ao ponto de as mineradoras Samarco, Vale e BHP Billiton e os poderes públicos federal e estaduais firmarem um acordo que encerra a ação civil pública que está sendo movida contra as empresas pelas violações de direitos humanos, sociais e ambientais decorrentes do rompimento das barragens. Além disso, as empresas são quem devem decidir quais as famílias atingidas deverão ser indenizadas e em quanto, e quem não ficar satisfeito com a indenização terá de entrar na justiça.

O Tribunal Popular  - "Não foi acidente", afirmam as entidades convocantes da sessão do Tribunal.
Para a realização da sessão, será montado um palanque na Praça Sete, centro da capital mineira, ao lado do Cine Teatro Brasil, às 18h30. No Banco dos réus estarão a Samarco/Vale/BHP, os governos de Antônio Anastasia e de Fernando Pimentel do Estado de Minas Gerais e o governo federal, responsáveis por tal crime.

Esta atividade é parte de uma campanha nacional e internacional e contará com a presença de delegações do estado, do Brasil e de outros países.

Exigimos:
1. Estabilidade no emprego para todos os trabalhadores;
2. Indenização justa a todas as famílias atingidas;
3. Reconstrução imediata do distrito de Bento Rodrigues;
4. Recuperação de toda bacia do rio doce;
5. Estatização sob o controle dos trabalhadores e das comunidades atingidas; 
6. Responsabilização da Samarco, Vale, BHP e do governo estadual atual e anterior e governo federal, pelo crime social, econômico, trabalhista e ambiental causado pelo rompimento da barragem.


Tribunal Popular
Dia 1º de abril às 18h30.
Praça Sete, ao lado do Cine Teatro Brasil
Centro de Belo Horizonte (MG)
NÃO FOI ACIDENTE!